Alto contraste Modo escuro A+ Aumentar fonte Aa Fonte original A- Diminuir fonte Linha guia Redefinir
Sindicato dos Servidores das Justiças Federais no estado do Rio de Janeiro - Telefone: (21) 2215-2443

Live da Fenajufe vai discutir Violência contra a Mulher e Políticas de combate

As convidadas são a procuradora da 3ª região e ex-Conselheira do CNJ, Maria Cristiana Ziouva e Débora Mafra, delegada de polícia civil. Debate terá a participação da diretora do Sisejufe e da Federação, Lucena Pacheco.

Live da Fenajufe vai discutir Violência contra a Mulher e Políticas de combate, SISEJUFE

O Programa Sala de Entrevista — Especial Lives da Fenajufe — desta quinta-feira (26/11), realizará um debate sobre políticas de enfrentamento e combate a todas as formas de violência de que as mulheres são vítimas. As convidadas da semana tem amplo conhecimento sobre o tema e atuação exemplar nas áreas de combate e  políticas de eliminação da violência contra a mulher.

Debora Mafra

Graduada em Direito com especialização em Direito Tributário. Delegada da polícia civil desde 2009- Chefiou a Delegacia Especial em Crimes Contra a Mulher – DECCM- em Manaus. Renomada por sua competência no combate a violencia contra a mulher, tendo atuado também como titular do 28° Distrito Policial e como delegada adjunta da delegacia de Homicídios também em Manaus.

Maria Cristiana Ziouva

Especialista em Direito Processual Civil, ingressou na carreira do Ministério Público Federal em 1995.Como Conselheira do CNJ – Coordenou a pasta de Política Judiciária Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, no âmbito do Conselho Nacional de Justiça. Atua como procuradora-chefe na Procuradoria Regional da República da 3ª Região, com área de atribuição nos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Organizações e institutos de pesquisa apontam um crescimento de até 40% nos casos de violência contra a mulher na Pandemia do Novo coronavírus. O aumento foi registrado em todo o mundo e no Brasil, a cada dois minutos uma mulher é agredida.

A denúncia é o caminho mais seguro para sair de uma situação de violência. Mas por medo, ameaça ou por não se reconhecer como vítima muitas mulheres se calam.  Quando a mulher deixa de procurar ajuda,  ela sai da  situação de  violência e entra para a estatística de feminicídio. O Brasil é o quinto país onde mais se mata mulheres.

Nesta edição  especial o programa terá  mediação exclusiva das coordenadoras integrantes do Núcleo de Mulheres da Fenajufe,  Lucena Pacheco e Elcimara Souza, coordenadora Comunicação e Imprensa, e coordenadora executiva, respectivamente. Lucena é diretora do Sisejufe.

Acompanhe pelo:

Facebook – https://www.facebook.com/fenajufe.nacional/

YouTube – https://bit.ly/3bGcuGj

Últimas Notícias