Alto contraste Modo escuro A+ Aumentar fonte Aa Fonte original A- Diminuir fonte Linha guia Redefinir
Sindicato dos Servidores das Justiças Federais no estado do Rio de Janeiro - Telefone: (21) 2215-2443

Sisejufe apoia o avanço do combate ao assédio moral no TRT 1

Sisejufe apoia o avanço do combate ao assédio moral no TRT 1, SISEJUFE

Foi publicado nesta quinta-feira (11/1) o resultado de uma sindicância no TRT 1, envolvendo a gestora de uma Vara do Trabalho da capital, acusada de assédio moral e violência laboral contra alguns de seus subordinados. Foi aplicada a pena de suspensão por trinta dias e determinado o afastamento de qualquer cargo ou função gerencial por dois anos. Após esse prazo, caso a sindicada seja inserida em cargo de gestão, ficará sujeita a supervisão intersetorial.

O Sindicato acompanhou o caso desde o início, recebendo as denúncias dos servidores e encaminhando para a Coordenadoria de Saúde, que tratou o caso com a atenção, cuidado e sigilo devidos. O relatório produzido pela CSAD foi remetido ao Comitê de Combate ao Assédio Moral que, após análise detalhada, solicitou à Presidência do Tribunal que fossem tomadas as devidas medidas. O Presidente determinou a abertura de sindicância, nomeando os membros da comissão e afastando liminarmente a gestora para fins de prosseguimento da apuração.

Ouvidas todas as testemunhas, garantido o direito do contraditório e ampla defesa, analisadas as provas o resultado foi a punição já citada.

O Sindicato manifesta seu apoio ao procedimento, esperando que sirva de paradigma tanto para que os gestores evitem práticas nocivas ao ambiente de trabalho como para que os servidores denunciem situações que entendam caracterizar assédio moral.

“É importante compreender por que nem toda violência que se dá no ambiente de trabalho se carateriza como assédio moral. Existem outras formas de violência, tão nocivas ao trabalhador quanto o assédio moral, como a ‘gestão por injúria’, a ‘gestão por stress’, ou mesmo o assédio sexual. Por isso, de modo geral, toda violência sofrida no ambiente trabalho é chamada pelos especialistas no tema de ‘violência laboral’. É importante narrar a situação vivida a um profissional qualificado, que poderá fazer a avaliação técnica. É aí que a Csad entra, inclusive para distinguir uma possível situação de violência laboral de uma simples cobrança de trabalho”, explica a diretora do Sisejufe Carla Nascimento, que é servidora do TRT1 e integrante do Comitê de Combate ao Assédio Moral e Sexual do regional.

O Sisejufe parabeniza a atuação dos profissionais da CSAD e dos componentes do Comitê de Combate ao Assédio Moral.

O canal para denúncias para o sindicato é contato@sisejufe.org.br. Você também pode mandar e-mail para a diretora Carla Nascimento: ncarla705@gmail.com

Últimas Notícias