Alto contraste Modo escuro A+ Aumentar fonte Aa Fonte original A- Diminuir fonte Linha guia Redefinir
Sindicato dos Servidores das Justiças Federais no estado do Rio de Janeiro - Telefone: (21) 2215-2443

Secretário-geral do CNJ confirma à Fenajufe que minuta da Polícia Judicial está em fase final

Adamek informou, ainda, que vai conversar com ministro Toffoli sobre o tema. Pauta é uma das principais reivindicações da categoria

Secretário-geral  do CNJ confirma à Fenajufe que minuta da Polícia Judicial está em fase final, SISEJUFE

Os coordenadores da Fenajufe Fernando Freitas e Roberto Policarpo se reuniram, na manhã da terça-feira (25/8), com o secretário-geral do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Carlos Vieira von Adamek, para tratar do andamento do processo sobre a criação da Polícia Judicial Federal. Adamek confirmou aos coordenadores que a minuta está em fase final.

Além de detalhar o andamento da minuta, o secretário-geral informou que conversará sobre o tema com o presidente do CNJ, ministro Dias Toffoli, até quarta-feira (26/8). A expectativa é que o assunto seja pautado em breve. Desse modo, tão logo a minuta seja fechada, Adamek dará retorno àFenajufe novamente.

A pauta é uma das principais reivindicações da categoria e a Fenajufe busca junto ao CNJ resolução implementando a Polícia Judicial e disciplinando o poder de polícia administrativa no âmbito do Poder Judiciário da União.

No dia 28 de julho, o relator do processo conselheiro Mário Augusto Figueiredo de Lacerda Guerreiro disse à Fenajufe, em reunião virtual, que apresentaria o tema na reunião do Comitê de Segurança do CNJ no mês de agosto. Já no dia 30 de julho, quando o Diretor-Geral, Johaness Eck confirmou à Fenajufe a instalação do Fórum Permanente de Gestão da Carreira dos Servidores do PJU, o SG Adamek explicou que após a finalização do relatório, a questão seria pautada em agosto ou mais tardar no início de setembro, antes, no entanto, do término do mandato do presidente Dias Toffoli.

A Fenajufe defende a criação da Polícia Judicial Federal, compreendendo o papel fundamental para o fortalecimento do Poder Judiciário e esclarece que a criação corrige uma inquestionável necessidade do PJU e de suas instituições a uma realidade grave de violência, posto que esse se ressente de mecanismos próprios e efetivamente mais adaptados a sua realidade para enfrentá-los se comparado aos outros poderes.

Fonte: Raphael de Araújo, da Imprensa Fenajufe

Últimas Notícias