Alto contraste Modo escuro A+ Aumentar fonte Aa Fonte original A- Diminuir fonte Linha guia Redefinir
Sindicato dos Servidores das Justiças Federais no estado do Rio de Janeiro - Telefone: (21) 2215-2443

Covid–19: pandemia aumenta e atinge servidores do Judiciário

Contrariando o diagnóstico de Jair Bolsonaro, o novo coronavírus já matou mais de 11 mil brasileiros. País está no ranking dos dez países com mais vítimas da doença

Covid–19: pandemia aumenta e atinge servidores do Judiciário, SISEJUFE

 Desde o mês de março, a Covid-19 ronda o Judiciário. Já foram contabilizados a morte de pelo menos dez servidores, entre o Judiciário Federal e o Estadual. Os falecimentos evidenciam a importância de políticas de distanciamento social e reafirmam a necessidade de obedecer as orientações das organizações de saúde, Ministério da Saúde e demais normas decretadas nos estados e no Distrito Federal. A Fenajufe e também da direção do Sisejufe defendem desde o início o direito à vida e a um serviço público de qualidade como prioridade de atuação da entidade.

Tão logo o país adotou o isolamento social como a medida protetiva mais eficaz contra o novo Coronavírus, a federação com extrema preocupação com as servidoras e servidores dos órgãos do PJU e MPU solicitou ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e aos Tribunais Superiores a suspensão de expediente presencial e a instituição do trabalho remoto. O sindicato também pleiteou medidas de segurança aos tribunais no Estado do Rio.

Além disso, a Fenajufe em conjunto com a Fenajud solicitou também medidas protetivas para todos os servidores do judiciário federal e estadual com atenção especial aos oficiais de justiça, agentes de segurança e demais servidores que exercem funções essenciais durante a Pandemia.

As medidas não impediram que a doença trilhasse a rota dos tribunais, comarcas e fóruns nas várias regiões do país e desfalcasse o quadro de servidores. No dia 25 de março Carlos Alberto de Araújo Rocha, lotado no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) do Rio de Janeiro, foi a primeira vítima entre nossos colegas. Uma semana depois o oficial de justiça José Dias Palitot Júnior do TRT da 2ª Região/ SP faleceu aos 44 anos. O Tribunal de Justiça de São Paulo registrou ainda a morte do também Oficial de Justiça João Alfredo Portes no mesmo mês.

O Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT – 2ª-SP) registrou a quarta morte no judiciário dia 4 de abril. Clarice Fuchita Kestring (oficial de justiça) tinha 63 anos. O mês de abril ampliou o quadro de mortes. No dia 13, o Servidor aposentado do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS) Henrique dos Santos Castro. 
No dia 23, o judiciário registrou a primeira morte entre os agentes de segurança. O Agente de Segurança do TRT da 8ª Região (TRT PA/AP) Gonçalo Augusto Rodrigues de Freitas, de 61 anos de idade, entrou para a estatística.

E não parou por aí. Ainda no mês de abril, o servidor da Justiça Federal em SP, Roberto José Alberto morreu no dia 28. Maio mal começou e já deixou marcas. Desta vez o registro é do Agente de Segurança Rui Adriano Nogueira de Araújo, de 59 anos. Ele era lotado no Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região (TRT 11ª – AM- RR) e morreu no dia dois.

 Em âmbito estadual, registramos a morte do servidor Kleber Bulle Rocha (dia 4 de maio), oficial de justiça. Ele trabalhava na central de mandados de Belford Roxo, estado do Rio de Janeiro. No andamento da confecção desta matéria, outro servidor perde a batalha contra a Covid-19. Outro oficial de justiça lotado no Tribunal de Justiça do Pará( TJPA) Roberto Carvalho, morreu neste dia 7 de maio.

O Brasil já conta com mais de 135 mil casos oficiais de infecção pelo novo Coronavírus e mais de 11 mil mortes. O presidente Jair Bolsonaro segue na contramão e debocha da letalidade do vírus. Com ele segue uma legião de adoradores que não entendem que o momento é de pensar em si, na família e na coletividade. É imprescindível buscar, preservar e aumentar o isolamento social.

O número de mortes aumenta a cada 24 horas. A Covid- 19 não escolhe vítimas, ela mata. Não existe idade, cor, sexo, ou nível social, apesar de afetar mais profundamente a periferia deste país. A cada dia familiares não podem se despedir de seus entes queridos. Isso talvez signifique a pior das perdas.

A Fenajufe desenvolveu um Hotsite onde manterá todas as informações sobre a Pandemia no Brasil e no mundo com atualizações diárias. Ações realizados pelas entidades, vídeos, prevenção, orientações e demais assuntos sobre a Covid-19 estarão disponíveis. Solicitamos aos sindicatos que nos informem sobre casos de morte quando houver para ,infelizmente compor a coluna “ In memoriam” disponível na plataforma.

 Fonte: Com informações da Imprensa Fenajufe

Últimas Notícias