Alto contraste Modo escuro A+ Aumentar fonte Aa Fonte original A- Diminuir fonte Linha guia Redefinir
Sindicato dos Servidores das Justiças Federais no estado do Rio de Janeiro - Telefone: (21) 2215-2443

Bolsonaro quer trocar reajuste salarial de servidores por aumento do vale-alimentação

Depois de acenar com um percentual de apenas 5% de reajuste linear para repor a inflação de três anos de seu governo, o presidente Jair Bolsonaro aventa trocar a reposição por um aumento no vale-alimentação.

Bolsonaro quer trocar reajuste salarial de servidores por aumento do vale-alimentação, SISEJUFE
Presidente Jair Bolsonaro discursa após cerimônia de posse do Ministro de Estado da Cidadania, Joao Roma, e do Ministro de Estado Chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Onix Lorenzoni e sanção da Lei da Autonomia do Banco Central

Para conter a mobilização de dezenas de categorias descontentes com a promessa de reajuste apenas para as carreiras das polícias federais, Bolsonaro, segundo o publicado pelo Jornal Extra, chegou a “bater o martelo” pelo reajuste único para o conjunto do funcionalismo, mas voltou atrás. Segundo o periódico carioca, o valor ainda não está definido, e integrantes do governo alertam que Bolsonaro “sempre pode mudar de ideia”.

Com a mudança, o governo pretende resolver o problema criado por ele mesmo quando reservou no orçamento deste ano R$ 1,7 bilhão apenas para o reajuste dos policiais federais, considerados por Bolsonaro como sua base eleitoral. Para a concessão linear dos 5%, o governo teria que bloquear mais R$ 5,3 bilhões, além dos R$ 8,2 bilhões já incluídos na revisão orçamentária encaminhada ao Congresso, no último dia 19.

Tudo que o Guedes sempre quis: reajuste zero

Um aumento apenas no vale-alimentação seria uma vitória da medida defendida desde a discussão orçamentária em 2021 pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, notório contrário a qualquer reajuste salarial. Segundo o jornal Extra, o valor do reajuste do auxílio alimentação poderá ficar entre R$ 600 a R$ 700 o que, segundo o próprio governo cobriria apenas a inflação do ano passado.

O reajuste no vale significaria que os aposentados e pensionistas ficariam de fora de qualquer reposição. Os militares das Forças Armadas também, porque não recebem vale-alimentação.

Para a diretora do Sisejufe e coordenadora da Fenajufe, Soraia Marca, as idas e vindas de Bolsonaro são uma tentativa de dividir as categorias e desmobilizar as servidoras e servidores que desde janeiro estão em campanha nacional para recuperar as perdas salariais acumuladas ao longo de seu governo. “Essa é mais uma tentativa de nos dividir para dominar e confundir. Agora, nos oferecendo aumento no auxílio-alimentação e retirando do reajuste os aposentados e pensionistas. Bolsonaro quer esconder a perda da nossa capacidade de compra e, vale lembrar, que esse tipo de auxílio não é incorporado no momento da aposentadoria”.

 

Manuella Soares, para o Sisejufe.

Foto: Agência Brasil

Últimas Notícias