SINDICATO DOS SERVIDORES DAS JUSTIÇAS FEDERAIS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Instagram YouTube

Servidores do Judiciário Federal do Rio aprovam mecanismos para intensificar luta pela aprovação do PL 7.920

Servidores se reúnem em frente à Justiça Federal na Avenida rio Branco e debatem propostas de intensificação da luta

Servidores se reúnem em frente à Justiça Federal na Avenida rio Branco e debatem propostas de intensificação da luta

Os servidores do Judiciário Federal no Rio aprovaram, nesta terça-feira (02/09), em assembleia que ocorreu em frente à sede da Justiça Federal Rio Branco  mecanismos que garantem a autonomia dos foros para avaliar as condições de promover manifestações, atos e interrupções do atendimento ao público, e, assim, intensificar as paralisações nos foros no Estado do Rio. Ficou definido ainda o indicativo para que os setores façam paralisações de 12h às 14h nos balcões atendimento.

Também foi deliberado que a categoria no Rio fará um ato público em frente à sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), na Presidente Wilson, com data a ser definida. A assembleia deliberou ainda, de forma unânime, que se houver condições e participantes suficientes no ato em frente ao TRE, os manifestantes vão sair em passeata pelas ruas do Centro. O objetivo é demonstrar a insatisfação da categoria e intensificar a luta pelo PL 7.920/2014, o antigo PL 6.613/2009.

“Temos que ser realistas e unir forças para fortalecer o nosso movimento. O quadro nacional mostra que é preciso intensificar a mobilização da categoria. Nem todos os sindicatos pelo país estão conseguindo fazer greve, apenas 10 estados informaram na reunião do Comando Nacional de Greve que estão parados. Por isso, temos que usar as armas que temos e onde temos condições de mobilizar”, defendeu Roberto Ponciano, diretor do Sisejufe e coordenador da Fenajufe.

Para o presidente do Sisejufe, Valter Nogueira Alves, a postura do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, de ter enviado um novo projeto de lei ao Congresso, o  PL 7.920/2014, que é um outro formato para o PL 6.613/09 com a GAJ de 90%, em seis parcelas semestrais nos moldes  dos estudos realizados pelo Sisejufe, demonstra que o chefe do Judiciário Federal não vai permitir que o Executivo interfira no orçamento do poder.

“O presidente do STF indicou com o envio do PL 7.920 que manterá a independência do Judiciário em relação ao Executivo”, afirmou na assembleia.

Segundo Ponciano, o envio dos recursos que garantem o aumento dos servidores do Judiciário para o Orçamento da União vai passar por uma negociação direta entre a presidenta Dilma e o ministro Lewandowski.

Fonte: Max Leone – Imprensa Sisejufe