Alto contraste Modo escuro A+ Aumentar fonte Aa Fonte original A- Diminuir fonte Linha guia Redefinir
Sindicato dos Servidores das Justiças Federais no estado do Rio de Janeiro - Telefone: (21) 2215-2443

Sisejufe manifesta repúdio à agressão sofrida por três mulheres, na Lapa; duas delas são mulheres transexuais, o que configura um ato de transfobia

Sisejufe manifesta repúdio à agressão sofrida por três mulheres, na Lapa; duas delas são mulheres transexuais, o que configura um ato de transfobia, SISEJUFE

O Sisejufe e o Coletivo LGBT do sindicato vêm a público manifestar total repúdio às agressões sofridas por três mulheres, na Lapa, entre a madrugada de quinta-feira, 18/01, e a manhã de sexta, 19/01. Das três, duas são mulheres transexuais, que foram terrivelmente agredidas física e verbalmente, o que configura um ato de transfobia.

As vítimas estavam no Casarão do Firmino, num show de samba, quando começou a confusão. Segundo as vítimas, os ataques foram proferidos por cerca de 20 homens, entre eles seguranças da casa, ambulantes que estavam no local e um motorista de aplicativo, e foram motivados por duas delas serem mulheres trans. Uma teve o nariz quebrado e aguarda cirurgia. Uma delas fez um relato em suas redes sociais explicando sua versão dos acontecimentos e contando os momentos de desespero. Em um trecho ela diz: “Ainda incrédula com tanta violência que passei”.

Já do lado de fora do estabelecimento, na rua, mais agressões e pessoas envolvidas no que acabou virando uma grande confusão e absurda violência.

Os motivos da confusão ou por que ela começou, não importam. O que o Sisejufe faz questão de frisar é o absurdo da ação extremamente violenta contra essas três mulheres. E, sim, foi um ato de transfobia, sim. Pelo relato das vítimas e de algumas testemunhas, os agressores, ao baterem nas mulheres, falaram coisas do tipo “pode bater que é tudo homem” e “nela eu não bato, mas em vocês dois eu meto a porrada”.

Toda e qualquer violência deve ser repudiada, sempre!

É bom lembrar que estamos em janeiro, mês em que celebramos o Dia Nacional da Visibilidade Trans, que acontece dia 29. Mais uma motivo para todos, todas e todxs nós nos posicionarmos e nos solidarizarmos contra toda e qualquer violência transfóbica.

Seguiremos firmes, atuantes, na luta e na defesa por um mundo menos violento, mais respeitoso, diverso e colorido.

(Comitê LGBT do Sisejufe)

Sisejufe manifesta repúdio à agressão sofrida por três mulheres, na Lapa; duas delas são mulheres transexuais, o que configura um ato de transfobia, SISEJUFEFortaleça a sua entidade sindical. Filie-se ao Sisejufe diretamente neste link. Siga nossas redes no Instagram, Facebook YouTube. Acompanhe sempre com a gente as notícias de interesse da categoria!!!

Últimas Notícias