Alto contraste Modo escuro A+ Aumentar fonte Aa Fonte original A- Diminuir fonte Linha guia Redefinir
Sindicato dos Servidores das Justiças Federais no estado do Rio de Janeiro - Telefone: (21) 2215-2443

Servidores do Rio elegem delegados para o 11º Congrejufe, em assembleia virtual

Em breve será divulgada delegação completa do Sisejufe

Servidores do Rio elegem delegados para o 11º Congrejufe, em assembleia virtual, SISEJUFE

Os servidores do Judiciário Federal do Rio de Janeiro escolheram as delegadas e delegados que irão representar o estado no Congresso Nacional da Fenajufe (11º Congrejufe). A chapa única, formada por membros da diretoria, representantes de base, servidoras e servidores sindicalizados foi eleita com 99% dos votos (289 votantes) e três abstenções. A assembleia geral, conduzida pela presidenta do Sisejufe, Eunice Barbosa, aconteceu na noite desta quinta-feira (10/3), pela plataforma Zoom, e reuniu mais de 350 filiados.

Servidores do Rio elegem delegados para o 11º Congrejufe, em assembleia virtual, SISEJUFE

“Elegemos uma chapa plural, com mulheres e homens em paridade, negros e negras, LGBTs, servidores de diversos segmentos, representantes de todas as Justiças Federais do Rio de Janeiro. Agradecemos muitíssimo pela parceria e pela confiança de vocês nesta diretoria. Agradecemos ao conselho de representantes, aos aposentados, a cada colega do TRE-RJ, TRT1, TRF2, Seção Judiciária e Justiça Militar que ajudou a mobilizar os sindicalizados para essa importante assembleia. Essa delegação vai representar com louvor todos os servidores e servidoras no Congrejufe, congresso que vai reunir sindicatos de todo país para organizar a luta no cenário nacional. Vocês que estiveram aqui presentes fortalecem a nossa categoria”, agradeceu Eunice.

Na próxima semana será divulgada a delegação completa do sindicato. O 11° Congrejufe acontece entre os dias 27 de abril e 1º de maio, em Curitiba, no estado do Paraná.

Rumos da luta

A diretora do Sisejufe e coordenadora da Fenajufe, Lucena Pacheco, explicou que o Congrejufe acontece de três em três anos e representa a maior presença da categoria numa instância da Federação. “É muito importante esse momento onde a gente vai discutir conjuntura nacional, conjuntura internacional, avaliar a gestão da Fenajufe e o principal: traçar os novos rumos da luta dos servidores do Judiciário Federal e do MPU, lutas específicas e gerais. Todas serão encaminhadas durante o congresso. Por isso a importância de a gente estar aqui hoje elegendo a delegação que vai nos representar”, declarou a dirigente sindical.

Lucena informou que a federação está inovando com uma fase pré-congressual, na qual serão realizadas atividades virtuais que tratarão de parte das pautas a fim de que se chegue ao congresso com alguns temas já devidamente debatidos. O calendário será divulgado em breve.

Inscrição de teses

A coordenadora da Fenajufe ressaltou, ainda, que as inscrições de teses já estão liberadas para cadastro (link). “No dia 15 de março tem o prazo final para entrega de teses de balanço de gestão e atuação da Fenajufe; no dia 28 de março termina o prazo para pautas de reivindicação, planos de lutas e políticas permanentes; e no dia 31 de março tem inscrições de teses para análise de conjuntura nacional e internacional. Essas teses ajudam a traçar estratégias e encaminhamentos da luta para o próximo período”, pontuou Lucena.

Momento estratégico

O diretor Valter Nogueira esclareceu que esse Congrejufe é um dos mais importantes da história da federação.

“Assistimos nos últimos anos um grande ataque ao serviço público e nesse processo os trabalhadores têm que reagir. Foi reagindo no ano passado que a gente conseguiu empurrar, por hora, a reforma administrativa. Infelizmente, nós não conseguimos barrar a reforma trabalhista, nem a reforma da Previdência e outras reformas que surgiram. Mas a luta dos trabalhadores continua. E a nossa federação é uma das mais importantes do Brasil, tanto do ponto de vista numérico como do ponto de vista da luta dos trabalhadores. A gente vai discutir questões centrais para os próximos anos como recomposição salarial, plano de carreira, reestruturação, novas tecnologias, teletrabalho e saúde do trabalhador. A gente espera que o Rio de Janeiro dê uma contribuição importante para a luta da categoria”, concluiu Valter.

 

 

 

 

Últimas Notícias