Alto contraste Modo escuro A+ Aumentar fonte Aa Fonte original A- Diminuir fonte Linha guia Redefinir
Sindicato dos Servidores das Justiças Federais no estado do Rio de Janeiro - Telefone: (21) 2215-2443

Servidores do Rio decidem manter greve até o dia 30, data marcada para análise do veto 26

Servidores do Rio decidem manter greve até o dia 30, data marcada para análise do veto 26, SISEJUFE

Os servidores do Judiciário Federal do Rio de Janeiro aprovaram na assembleia-geral desta quinta-feira (24/9), por unanimidade, a manutenção da greve, respeitando as dificuldades de cada foro e tribunal. Ficou acertado que a mobilização será mantida pelo menos até a próxima quarta-feira (30/9), quando haverá a sessão do Congresso Nacional de análise dos vetos presidenciais, entre eles o projeto de recomposição salarial da categoria. Será intensificado o  trabalho de arrecadação para aumentar as contribuições na conta bancária do Sisejufe, a fim de viabilizar o envio de mais uma Caravana da Vitória a Brasília na próxima semana.

“Vamos mobilizar nossos colegas. Precisamos aumentar as arrecadações”, afirmou o diretor do Sisejufe Mario Cesar Pacheco. O servidor Sergio Pereira da Silva pediu o empenho de todos para garantir o aumento das filiações ao sindicato.

Silvia Regina Assenheimer, do TRF, fez um relato emocionado sobre a mobilização das últimas semanas em Brasília e elogiou o empenho do Sisejufe na greve. “Vamos dar mais uma semana de chance para que a gente vença, para que a gente chegue lá”, acrescentou.

Também foi deliberado que as atividades locais – como os apagões – serão intensificadas, principalmente no dia 30. Os servidores planejam ainda aumentar a Força-Tarefa, que é o grupo que articula o apoio dos parlamentares em suas bases eleitorais. Serão criados novos grupos no Whatsapp para direcionar as atividades locais. Um deles, que já está funcionando, terá a finalidade de organizar caravanas para recepcionar parlamentares nos setores de embarque e desembarque dos aeroportos do Rio.

“Nunca essa categoria vai ser como antes. A gente está mudando o rumo desta história. A gente não vai sair deste processo de mãos abanando. Cada um vai seguir na greve da maneira que for possível, mas o momento não é de recuo”, disse a diretora Mariana Liria.

 

 

Últimas Notícias