Alto contraste Modo escuro A+ Aumentar fonte Aa Fonte original A- Diminuir fonte Linha guia Redefinir
Sindicato dos Servidores das Justiças Federais no estado do Rio de Janeiro - Telefone: (21) 2215-2443

Campanha denuncia violência contra a mulher

Justiça do Rio de Janeiro registrou um aumento de 50% nos casos durante o período de confinamento

Campanha denuncia violência contra a mulher, SISEJUFE

O aumento dos casos de violência doméstica tem crescido vertiginosamente com a crise do coronavírus. De quarentena, muitas mulheres ficam obrigadas a conviver 24 horas por dia com seus companheiros agressores e mesmo a computação de denúncias nem sempre acompanha esses registros. Nesse cenário, é fundamental demonstrar apoio e solidariedade com vizinhas, familiares e amigas que estejam sofrendo em tempos já tão difíceis de uma pandemia mundial. A violência doméstica não escolhe classe, nível educacional ou qualquer outra posição social.

Dezenas de organizações feministas do Rio de Janeiro estão promovendo a campanha online Maio Pela Vida das Mulheres!, entre elas, a Marcha Mundial de Mulheres. A campanha foi lançada com uma ação no Twitter e agora segue um desafio para que as mulheres postem fotos nas redes sociais com mensagens de solidariedade e as hashtags #QuarentenaSimViolênciaNão, #VizinhaVocêNãoEstáSozinha e #MexeuComUmaMexeuComTodas.

“Participem! No nosso feminismo, ninguém anda só”, destacou a coordenadora do Núcleo Sindical da Marcha Mundial das Mulheres do Sisejufe, Anny Figueiredo. Ela postou a foto com as hashtags nas suas redes sociais e marcou as amigas para que fizessem o mesmo.

A Justiça do Rio de Janeiro registrou um aumento de 50% nos casos de violência doméstica durante o período de confinamento. O movimento no Plantão Judiciário, inclusive, surpreendeu as autoridades. A maioria das pessoas que buscaram ajuda da Justiça é de mulheres vítimas de violência.

Anote os números para denunciar ou para receber orientações para prevenir e combater a violência contra a mulher:

Polícia Militar

190

Para casos de emergência (o número é válido tanto para vítima quanto para testemunhas); funciona 24 horas por dia

Central de Atendimento à Mulher

180

Para orientações sobre como proceder em caso de violência; funciona 24 horas e em âmbito nacional

Disque Cidadania e Direitos Humanos

0800 0234567

Recebe denúncias de preconceito, assédio sexual, LGBTIfobia, racismo, entre outras, 24 horas por dia, em âmbito estadual

Disque-Mulher

(21) 2332-8249

Orienta mulheres em situação de violência e discriminação

Núcleo Especial de Defesa dos Direitos da Mulher (Nudem)

2332-6371 ou 97226-8267

O órgão da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro é especializado na promoção e na defesa dos direitos das mulheres

Últimas Notícias