SINDICATO DOS SERVIDORES DAS JUSTIÇAS FEDERAIS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Instagram YouTube

Direção do Sisejufe se reúne com o diretor-geral do TRT do Rio

A necessidade de ampliar o curso de ambientação para servidores removidos ou que vieram de outros setores para o Tribunal Regional do Trabalho do Rio (TRT-1), por meio de permutas, foi um dos pontos de interesse do funcionalismo tratados pela direção do Sisejufe em reunião com a Diretoria Geral do TRT na quinta-feira (4/7). Para o sindicato, a ampliação do curso se faz necessária  uma vez que os servidores ingressaram nos quadros do tribunal e precisam estar familiarizados com as novas demandas para iniciarem as atividades.

No encontro com o diretor-geral, Luis Felipe Carrapatoso, também foi destacada a situação dos oficiais de justiça nomeados recentemente, que por necessidade de serviço, foram imediatamente lotados sem passar pela necessária ambientação. De acordo com Ricardo Quiroga, diretor do Sisejufe, Carrapataso concordou com a proposta e se comprometeu em viabilizá-la.

Os dirigentes do sindicato solicitaram ainda informações sobre possível remanejamento de servidores que poderá ocorrer tribunal para cobrir déficit nos setores. O diretor-geral do TRT confirmou que há estudos nesse sentido, ante a falta de pessoal, impossibilidade de novas nomeações e carência em algumas áreas.

Entretanto, garantiu que não há objetivo de fazer movimentações que impliquem em mudança de domicílio, assegurando que as pretensões dos servidores inscritos no Projeto Movimento da SGP serão, na medida do possível, consideradas.

A direção do Sisejufe também abordou a Greve Geral do dia 14 de junho, requerendo que os servidores, que participaram, possam fazer a compensação, que seria pelo serviço represado por conta do dia de paralisação. O diretor geral recebeu o pedido e se comprometeu a encaminhá-lo à Presidência do TRT.

Participaram da reunião com o DG, os diretores do Sisejufe Amauri Pinheiro e Ricardo Quiroga, o representante de base João Vitor Albuquerque e a servidora Juliana Mulatinho, oficial de justiça.

 

Fonte: Imprensa Sisejufe