SINDICATO DOS SERVIDORES DAS JUSTIÇAS FEDERAIS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Instagram YouTube

Presidência do TRE recebe diretoria para tratar da Greve Geral

Também ficou acertado que as instituições terão reuniões mensais para debater demandas dos servidores

A diretoria do Sisejufe esteve com a Presidência do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro para tratar das definições em torno do funcionamento mínimo na paralisação do dia 14 de junho. O sindicato propõe uma greve de ocupação, na qual os servidores vão para local de trabalho e atendem somente casos envolvendo perecimento de direito, tutela de urgência e prazo fatal.

O vice-presidente do sindicato, Lucas Costa, e os diretores Fernanda Lauria, Deise Azevedo e Ricardo Loureiro foram recebidos pelo presidente do TRE/RJ, desembargador Carlos Santos de Oliveira, acompanhado do diretor-geral, Bruno Cezar Andrade, e do juiz auxiliar da Presidência Rudi Baldi Leowenkron.

“A adoção desse formato é importante para dialogar com a sociedade e expor as razões para a deflagração da Greve Geral, um movimento nacional, de diversas categorias do setores público e privado contra a Reforma da Previdência do Governo Bolsonaro. A ideia é mostrar um outro ponto de vista, diferente do que tem sido apresentado de forma isolada na mídia”, explicou o vice-presidente. O vice-presidente avalia que a Administração reconhece a legitimidade do movimento grevista e a importância da atuação do sindicato na defesa dos interesses da categoria.

A orientação é ir ao local de trabalho, registrando ponto biométrico e simultaneamente o ponto paralelo. O sindicato vai enviar um email aos servidores da Justiça Eleitoral com orientações específicas para o dia da Greve.

O sindicato ponderou com a Presidência a necessidade de preservar o jurisdicionado dos efeitos da paralisação, considerando a adesão de setores como do transporte público e educação, entre outras categorias, e sugeriu a suspensão dos prazos e do agendamento de eleitores para cadastramento biométrico no dia 14 de junho. A Administração informou que vai avaliar a questão dos prazos em data próxima à Greve e deve levar em consideração a proposta, caso o movimento atinja proporções que possam prejudicar o deslocamento das pessoas. Quanto à suspensão dos agendamentos, o assunto será levado à Corregedoria do Tribunal para definição.

Administração e Sisejufe terão mesa permanente de diálogo

Ficou acordada uma mesa permanente de diálogo entre a Administração e o Sisejufe para tratar das demandas dos servidores, com reuniões mensais, da qual devem participar os representantes dos servidores, a Diretoria-Geral e os responsáveis pelos setores envolvidos nas questões a serem tratadas. “Ficou provado por meio das experiências do rezoneamento, quando a fomos ouvidos a cada etapa do processo, e do redimensionamento da força de trabalho, em que não foi dada a oportunidade do sindicato se manifestar adequadamente, que a atuação do sindicato é fundamental para levar em consideração o ponto de vista da categoria e evitar maiores prejuízos para os servidores e para o próprio tribunal, buscando minimizar os impactos e obter os melhores resultados possíveis”, afirmou Lucas.