SINDICATO DOS SERVIDORES DAS JUSTIÇAS FEDERAIS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Instagram YouTube

Sisejufe e outras entidades debatem com parlamentares da oposição ações para barrar Reforma da Previdência

Diretoria do sindicato define agenda de mobilizações no RJ e em Brasília

Foto Aeroporto 2O Sisejufe atua em várias frentes para mobilizar a categoria na luta contra a Reforma da Previdência. Nesta terça-feira (2/4), o presidente do sindicato, Valter Nogueira Alves, participou de duas ações em Brasília. Em um primeiro momento, o dirigente se juntou à Fenajufe e outras entidades em um ato no Aeroporto de Brasília. Com faixas e cartazes, os sindicalistas abordaram a população e parlamentares para reforçar os impactos da reforma na vida dos trabalhadores.

Logo depois, Valter Nogueira participou de uma reunião com representantes de entidades de servidores públicos, no gabinete da líder da minoria na Câmara dos Deputados, Jandira Feghali (PC do B-RJ). O objetivo do encontro foi debater estratégias de como desconstruir a narrativa feita para entregar a Previdência Pública nas mãos de banqueiros que com a eventual mudança do regime atual para um sistema de capitalização herdariam um mercado bilionário.

O grupo também destacou que é importante combater o discurso que o governo usa para convencer a sociedade de que a reforma ataca privilégios. No serviço público, a proposta acelera o desmonte do atendimento ao cidadão e provoca o confisco de salários dos servidores.

UNIDADE E DIÁLOGO

Todos os parlamentares que participaram da reunião, como a ex-senadora e agora deputada, Lídice da Mata (PSB-BA), a deputada Alice Portugal (PC do B-BA) , os deputados Paulo Teixeira (PT-SP), Bohn Gass (PT-RS) e Henrique Fontana (PT-RS), ressaltaram a importância de promover uma unidade em torno da derrubada da PEC 6/19 que propõe o fim da Previdência Pública.

Entre as propostas apresentadas, um dos destaques foi o de promover um debate amplo com a sociedade. “Além de mobilizar nossa categoria e pressionar os parlamentares, é preciso envolver os cidadãos nas discussões para mostrar que a reforma vai impactar de maneira devastadora na vida de todos, principalmente dos mais pobres. Essa reunião foi muito positiva porque mostrou que os movimentos estão organizados e preparados para a luta”, afirmou o presidente do Sisejufe.

Foi discutida ainda a possibilidade de fazer uma campanha publicitária massiva alertando para os problemas da PEC. A ação foi aprovada pelas entidades presentes, que devem ratear os custos da campanha. Participando com as minorias, a coordenadora nacional da Auditoria Cidadã da Dívida, Maria Lucia Fattorelli, ressaltou que “os atendidos com essa Reforma da Previdência que o governo quer aprovar são os verdadeiros privilegiados desse país: os bancos”.

BRASIL QUER SEGUIR MODELO FRACASSADO

Além de não contemplar o conjunto da sociedade, aqueles que aderirem ao modelo de capitalização não estariam com suas aposentadorias garantidas. É o que mostram os exemplos de países que adotaram esse sistema que o ministro da Economia, Paulo Guedes, se esforça para impor ao Brasil. Pela sistemática proposta pelo governo Bolsonaro, uma pessoa contribuirá com valores por toda a vida e não saberá o que vai receber ao se aposentar. De cerca de 30 países que aderiram ao regime de capitalização, 18 já voltaram atrás. Outros, como o Chile, que Paulo Guedes insiste em ter como exemplo, lutam para reverter o modelo que levou a população idosa do país à pobreza e à miséria.

FEDERAÇÃO PEDE ARTICULAÇÃO NOS ESTADOS

Com o calendário de votação da Reforma da Previdência delineado no Congresso, com previsão de votação na CCJ já para 17 de abril, a Fenajufe orienta aos sindicatos que reforcem as articulações nas bases eleitorais dos parlamentares, buscando compromisso público de deputados e senadores contra a reforma predatória. Apesar das dificuldades na articulação no Parlamento, o governo busca estabelecer o velho mecanismo de balcão de negócios para comprar congressistas com verbas públicas e cargos. A atenção deve ser redobrada e a denúncia reiterada.

ABAIXO ASSINADO, BARRACAS E TENDAS

Nessa direção, centrais sindicais e entidades representativas da classe trabalhadora vão lançar uma iniciativa, que conta com a adesão do Sisejufe, para coletar assinaturas em defesa da Previdência Social e das Aposentadorias no Brasil. O lançamento acontece essa quinta (4/4), em todo o país. As frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo também estarão engajadas nessa campanha, que inclui montagem de banquinhas, tendas para abrir o diálogo em locais de grande circulação de pessoas como terminais de ônibus, estações de metrô, feiras livres, mercados, proximidade de universidades e outros espaços.

MULHERES CONTRA A REFORMA

No dia 11 de abril, uma atividade no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, vai reunir mulheres contra a Reforma da Previdência. O objetivo é também agregar a bancada feminina no Congresso Nacional por votos contra a proposta. O sindicato enviará uma delegação a Brasília.

Confira nossa agenda de luta:

4 de abril – Lançamento da campanha nacional de coleta de assinaturas contra reforma

9 de abril – Ação de dirigentes e da categoria junto aos parlamentares no Aeroporto Santos Dumont, das 7h às 11h

11 de abril – Delegação do Rio participa de atividade no Auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, que vai reunir mulheres contra a Reforma da Previdência

24 de abril – Aula Pública sobre a Reforma da Previdência, às 19h em Volta Redonda – Auditório da UFF/VR Aterrado

26 de abril – Apoio à greve nacional dos professores, através de mobilização nos tribunais, com distribuição de fitas pretas aos servidores

1º de maio –  Ato Nacional Unificado contra a Reforma da Previdência. Local no Rio de Janeiro ainda será definido pelas entidades participantes

Fotos: Joana Darc