SINDICATO DOS SERVIDORES DAS JUSTIÇAS FEDERAIS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Instagram YouTube

SEU SINDICATO – Conheça as atribuições do Departamento de Saúde e Combate ao Assédio Moral do Sisejufe

Além da atuação política em lutas por melhores condições salariais e em defesa dos direitos do funcionalismo do Judiciário Federal do Rio, o Sisejufe atua para garantir melhores condições nos locais de trabalho com a preocupação de evitar danos à saúde de servidoras e servidores. O combate ao assédio moral que muitos funcionárias e funcionários sofrem nas repartições também faz parte da agenda de ações desenvolvidas pela direção da entidade.

Neste sentido, o Departamento de Saúde e Combate ao Assédio segue à risca as suas atribuições, como a de apoiar o funcionalismo com orientação e acompanhamento, inclusive em assessoria técnica e jurídica, nas questões relativas à saúde e condições de trabalho; para reivindicar condições adequadas de serviços médicos dos tribunais; e tratamento justo para quem tem problemas de Saúde; entre outras situações.

Além disso tudo, a observância da jornada com respeito do intervalo de dez minutos de descanso a cada 50 minutos trabalhados sempre esteve entre os assuntos mais discutidos pelo departamento em favor da categoria.

Pesquisas entre os servidores
IMG_7360Para elaborar suas linhas de atuação, o Departamento de Saúde e Combate ao Assédio do Sisejufe tem se baseado em dados que são extraídos de pesquisas feitas entre o funcionalismo. O último levantamento promovido na categoria se encontra em fase de análise de dados que irão direcionar as próximas atividades que serão colocadas em prática pela direção da entidade.  O objetivo da II Pesquisa de Saúde dos Servidores do Judiciário Federal do Rio de Janeiro é atualizar as informações sobre adoecimento dos funcionários  e do avanço das doenças do trabalho, principalmente as que são  vinculadas ao esforço repetitivo e ao sofrimento mental.

Na abordagem, os funcionários de todos os tribunais no estado responderam a seguinte pergunta: “O trabalho te adoece?”.  O questionário pôde ser acessado na Intranet dos tribunais e no site do Sisejufe, além das respostas terem sido dadas em formulário de papel.  Com os resultados em mãos, o sindicato cobrará das Administrações a implantação de políticas de prevenção à Saúde e formulará ações para a caracterização e o reconhecimento do acidente em serviço e da aposentadoria por invalidez, tanto pelas doenças físicas quanto pelas psíquicas, originadas pelo assédio moral.

O trabalho de levantamento de informações anterior, feito em 2014 pelo sindicato  (a pesquisa “Sua Saúde é Nossa Pauta”), detectou problemas que mais atingiam a categoria e que seriam possíveis causas de adoecimento. Dos 1.097 entrevistados, na ocasião, 59% responderam que estavam fazendo tratamento de saúde, 51% sentiam dores no pescoço e 52%, nas costas. Outro dado que chama a atenção é o aumento de trabalho. De acordo com a pesquisa, 61% confirmaram o acréscimo de tarefas e 39% apontaram a diminuição de número de servidores trabalhando como causa da situação.

Atuação em eventos
O departamento também tem atuação destacada em eventos como a Semana do Servidor. Nas comemorações deste ano, por exemplo, o sindicato, por meio do setor, ofereceu sessões de Medicina Tradicional Chinesa e Shiatsu Express em todos os locais em que ocorreram atividades referentes a semana festiva do funcionalismo público. IMG_8228

O Sisejufe também leva seu trabalho para mais perto dos servidores do interior do estado. A entidade organizou Oficinas de Saúde e Qualidade de Vida em Volta Redonda, Niterói, Nova Friburgo entre outras cidades fluminenses. Na ocasião, as atividades fizeram parte da campanha “Sua Saúde é Nossa Pauta”.

Nas oficinas, os participantes receberam informações gerais e orientações sobre um dos motes da campanha, que foi “Pausa dos 10 minutos a cada 50 trabalhados”, integrante do programa geral de Saúde da atual gestão do sindicato.

IMG_7372A diretora do Sisejufe e coordenadora do departamento, Helena Cruz, destaca a atuação do setor nos últimos anos, com o objetivo de provocar uma maior conscientização da categoria em relação às políticas de saúde.

“Sempre tentamos mostrar a importância da necessidade de uma maior qualidade de vida no ambiente de trabalho. E nos últimos anos, temos feito justamente isso, por meio de campanhas sobre a pauta na jornada de trabalho, por exemplo”, afirma a dirigente.

Ela também lembra das pesquisas feitas que servem para levantar dados que ajudam na elaboração das estratégias de atuação do departamento a fim de reduzir a incidência de doenças ocupacionais  e como também detectar situações de assédio moral na categoria.

“As oficinas desenvolvidas pelo departamento oferecem condições para que o trabalhador possa se cuidar, evitando estresse e reconheça possíveis situações de assédio moral”, diz a coordenadora.

Métodos alternativos para ajudar a aliviar as tensões
O Departamento de Saúde e Combate ao Assédio Moral também trabalha com métodos alternativos para ajudar a aliviar as tensões diárias dos servidores e servidoras, tanto no trabalho quanto em outros ambientes.  O setor oferece tratamento com Medicina Tradicional Chinesa (MTC) e outras terapias. Desde março de 2009, o Sisejufe conta com os serviços do fisioterapeuta Antônio Carlos Coelho Lopes – que oferece atendimento terapêutico alternativo, com ênfase na MTC e em técnicas como quiropraxia e acupuntura na sede do sindicato durante o ano inteiro.IMG_8229

Na primeira consulta, o paciente faz uma avaliação do seu problema para traçar o tipo de tratamento mais adequado. É preciso que o servidor ou servidora que será atendido traga roupas curtas e confortáveis, como calções, bermudas e camisetas.

DAP 30112018CO especialista trata problemas com terapias como acupuntura, moxabustão, drenagem linfática, massoterapia ayurvédica, shiatsu, quiropatia /quiropraxia, cinésio, crochetagem, reflexologia podal e auriculoterapia.  O atendimento ocorre de segunda a sexta-feira, das 9h às 15h, na sede do sindicato, que fica na Avenida Presidente Vargas 509 – 11º andar.

Cada sessão custa R$ 20 (sindicalizado) e R$ 40 (para não sindicalizados) e dura de 40 minutos a 1 hora e 10 minutos. Para agendar basta ligar para: (21) 2215.2443.

 

 

 

Max Leone – Imprensa Sisejufe