SINDICATO DOS SERVIDORES DAS JUSTIÇAS FEDERAIS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
REDES SOCIAIS
YouTube

AUTORITARISMO DE ZORZENON: Sisejufe fará ato dia 6 de junho contra demissão de servidor do TRT em licença médica

Manifestação será as 12h em frente ao prédio da Lavradio para denunciar arbitrariedade do presidente do tribunal

 

Os servidores do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) do Rio foram surpreendidos com um novo surto de autoritarismo, desrespeito e falta de senso de humanidade da Presidência do tribunal. O presidente do órgão, Fernando Antonio Zorzenon, publicou a demissão de um funcionário que se encontra em licença médica sob tratamento.  A direção do Sisejufe defenderá o servidor perseguido de todas as formas e denunciará a gestão lamentável do TRT em todos os fóruns possíveis.  No dia 6 de junho, às 12h, será realizado um ato em frente ao prédio da Lavradio contra a arbitrariedade de Zorzenon.

O caso já havia escandalizado a todos quando Zorzenon, passando por cima da decisão da comissão de sindicância que havia arquivado o caso envolvendo o servidor, resolveu demitir alguém que precisa de apoio médico e assistência psicológica. Na ocasião, a mobilização imediata do Sisejufe, de vários colegas e da família, conseguiu reverter a demissão, contando com a sensibilidade e a dignidade da vice-presidente do TRT, desembargadora  Rosana Salim, então no exercício da Presidência. O servidor foi encaminhado para o setor médico, que analisando a situação lhe deu licença médica para tratamento, procurando preservá-lo.

Quando tudo se encaminhava para uma solução definitiva, o presidente do TRT, em uma atitude absolutista e esquecendo que o funcionalismo é regido pelos princípios da legalidade e respeito à coisa pública, simplesmente atropelou a vice-presidente, o setor médico e arbitrariamente determinou a demissão do servidor.

Deixamos claro que qualquer dano à saúde do servidor em consequência desse ato absurdo será de responsabilidade do Tribunal. O Sisejufe repudia essa atitude ditatorial e conclama os servidores a não se deixarem intimidar por uma presidência que se caracterizou por prejudicar, ao máximo, os trabalhadores ao longo da gestão, tratando-os como inimigos, serviçais e indolentes. Em que pese os servidores garantirem excelentes resultados para o Tribunal, colocando-o entre os primeiros no ranking nacional, são humilhados e espezinhados cotidianamente pelo presidente.

 

Fonte: Imprensa Sisejufe

Compartilhe