SINDICATO DOS SERVIDORES DAS JUSTIÇAS FEDERAIS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
REDES SOCIAIS
YouTube

NA RESISTÊNCIA – Sisejufe participa da II Conferência Estadual da Frente Brasil Popular

Na sexta, 1°/12, e sábado, 2, ocorreu a II Conferência Estadual da Frente Brasil Popular que debateu a conjuntura nacional, as tática e estratégia para organizar a classe trabalhadora nas lutas que estão por vir. Foram 25 pré-conferências regionais e setoriais até chegar na II Conferência.

Mais de 600 pessoas participaram e escolheram 376 delegados e delegadas de setores como juventude, sindicalistas, aposentados, desempregados militantes do movimento de negros e negras, da diversidade sexual, da comunicação, da cultura e de favelas, das zonas Sul, Norte e Oeste, das Baixada, Norte e Sul fluminenses, regiões Serrana e dos Lagos. Entre as entidades participantes estavam a Consulta Popular, Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Levante Popular da Juventude, movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Marcha Mundial das Mulheres (MMM), partidos do campo de esquerda e diversos sindicatos, entre esses, o Sisejufe.

O Sisejufe, dentro da proposta de se juntar às demais categorias e às lutas gerais para resistir às antirreformas do governo golpista de Temer e avançar na unidade da classe trabalhadora, participou das pré-conferências regionais e sindical, além da abertura e da conferência propriamente dita.

II CONFERÊNCIA FBP4

Sisejufe se faz representar por sua base, por seus diretores e por seus profissionais

A abertura ocorreu na sexta-feira no Sindicato dos Bancários do Rio, com a presença de centenas de pessoas de vários municípios, parlamentares do campo progressista e diversas personalidades. Pelo Sisejufe participaram Anny Figueiredo (representante de base), Eunice Barbosa, Mariana Petersen, Ricardo Azevedo, Fernanda Lauria e Ricardo Quiroga (diretoras e diretores do sindicato), além da assessora política Vera Miranda.

No sábado, os delegados foram distribuídos por quatro grupos de trabalho (GT) que analisaram a tese geral apresentada e debatida nas pré-conferências. Os diretores Fernanda Lauria e Ricardo Quiroga participaram do GT2 – “Objetivos Táticos e Plano de Ação da Frente Brasil Popular (FBP)”; a diretora Mariana Petersen participou do GT3 – “Desafios Organizativos da FBP” e a diretora Eunice Barbosa participou do GT4 – “Desafios Estratégicos e Programáticos da FBP”.

II CONFERÊNCIA FBP2

Grupos de trabalho: aonde as questões são levantadas, animadas e levadas à Plenária

Para Ricardo Quiroga, “foi muito importante debater com ativistas de todo o estado sobre a tática para combater as antirreformas, mas também construir um programa político estratégico para o país”. Para o dirigente do Sisejufe, “é importante se reconhecer a necessidade de mudar as formas de mobilização e linguagem e construir ações mais descentralizadas, do que simplesmente repetir atos gerais unificados, de difícil articulação e que não dialogam com a maioria da população”.

II CONFERÊNCIA FBP3

Direção do sindicato engajada na busca de solução também para a vida do povo brasileiro

“A FBP está se apresentando como um excelente espaço de representatividade de base, na qual diversos setores da sociedade tais como moradores de favelados e da periferia, porteiros, médicos, metalúrgicos, entre outros, estão discutindo mecanismos de enfrentamento a essa ‘onda’ de reformas conservadoras,que buscam a retirada de direitos dos trabalhadores”, afirma a diretora Mariana Petersen, informando que no GT sobre Desafios Organizativos da FBP, “nós do Sisejufe defendemos a necessidade de sairmos desta ‘bolha’, criando mecanismos de comunicação mais eficazes,  que desmascarem a atuação da direita e consigam atingir e conscientizar a população diretamente afetada com tamanho retrocesso”.

Na parte da tarde do sábado, houve uma plenária geral com a leitura dos relatórios e propostas, na qual foram feitas várias intervenções dos delegados com análise de conjuntura, ressaltando a necessidade da unidade e de se atrair mais organizações e setores populares, além da construção com as demais frentes, como a Povo Sem Medo. Os relatórios foram aprovados por consenso.

Ao final se informou que por conta da grande mobilização e empenho, o Rio de Janeiro, enviará 40 delegados para a II Conferência Nacional da Frente Brasil Popular.

Compartilhe