SINDICATO DOS SERVIDORES DAS JUSTIÇAS FEDERAIS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Instagram YouTube

10 de junho é dia de paralisação de 24 horas no Judiciário Federal no Rio

Em conjunto com servidores do MPU e demais servidores públicos federais, trabalhadores das justiças federais no Rio de Janeiro paralisam atividades nessa terça, 10 de junho. No Polo Eleitoral de São Gonçalo haverá ato por reajuste salarial

 

Os servidores do Judiciário Federal cruzarão os braços por 24 horas na próxima terça-feira, dia 10 de junho. A paralisação é mais uma importante etapa da mobilização da categoria que reivindica reajuste salarial e pressiona pela aprovação do PL 6.613/09 na Câmara dos Deputados e integra o Dia Nacional de Luta do Judiciário e do MPU com os demais servidores públicos federais nos estados. A mobilização também será um marco da luta contra a PEC 59/2013, que pretende criar o Estatuto Único dos Servidores do Judiciário Nacional, com a qual não concordamos.

Proposta no Calendário de Lutas da Fenajufe, a paralisação de 24 horas foi uma deliberação da última assembleia geral do Sisejufe, no dia 4, que decidiu intensificar a luta dos servidores do Judiciário Federal no Rio de Janeiro. Depois da retomada do PL 6.613/09 e da elaboração do substitutivo com a Gratificação de Atividade Judiciária (GAJ) em 90%, a direção do Sisejufe convoca todos os servidores que ainda não aderiram ao movimento a participar da luta pela valorização da categoria.

Sabemos que é impossível continuar convivendo com tamanha defasagem salarial e para enfrentar as próximas etapas da negociação, que serão muito duras, é imprescindível que nosso movimento permaneça unido e se fortaleça ainda mais. Vamos parar 24 horas e mostrar que estamos dispostos a construir uma forte greve em defesa do reajuste e contra a fragmentação da categoria.

 

Acesse o Kit Paralisação, clicando sobre os arquivos para download:

CARTAZ DA PARALISAÇÃO

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA ZONAS ELEITORAIS – PARALISAÇÃO 24 HORAS

ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE PARALISAÇÃO DE 24 HORAS

PONTO PARALELO PARALISAÇÃO 24 HORAS